Apreciadores: Dia dos Pais - Revista da Cerveja

Notícias

01
ago
2018
    Publicidade
Apreciadores: Dia dos Pais

O mês de agosto é marcado pelo dia dos pais, aqueles que compartilham momentos conosco desde que nascemos. Cada um é único na sua maneira de agir, pensar e se portar, então por que não questionar o seu lado apreciador e descobrir como tudo começou? Já sabemos que cada pai é diferente, mas, nesta edição, trouxemos uma semelhança: o gosto pelas cervejas artesanais.

Apresentando as artesanais

Desde que Richard Sbravati se tornou beer sommelier e professor universitário na área de estudo de bebidas, a relação com o pai Osiris Sbravati ficou ainda mais forte. Ambos começaram a  experimentar cervejas especiais há quatro anos, quando o filho realizou o curso de sommelier no Instituto da Cerveja Brasil (ICB). Moradores de Piracicaba/SP, Richard conta que foi o responsável por apresentar as artesanais ao pai. “Começamos a visitar cervejarias como a Eisenbahn (SC), Dama Bier (SP), Cevada Pura (SP), Tutta Birra (SP) e, a partir daí, ele tomou gosto pela coisa. Adoramos cervejas fortes e amargas como as IPAs e as Strong Ales. Desejo que possamos por muitos anos ainda dividir a mesa no dia dos pais com alegria e boas cervejas”, finaliza.

Uma ponte para a relação pai, filho e cerveja

O carioca Helio Amaro é daquele tipo de pai que bebe quietinho, sem muita manifestação, mas que, mesmo assim, não perde a oportunidade de apresentar as produções caseiras do filho para os amigos. O filho, Helio Júnior, conta que o pai experimenta todas as cervejas que ele leva nos almoços de fim de semana. “Ele nunca comenta o que acha das bebidas no geral, até que um dia, no  Mondial de La Bière de 2016, ele tomou uma cerveja envelhecida em barril de vinho do Porto e adorou! Sempre me pede para procurar exemplares daquela forma.” Helio Jr. ainda conta que ambos possuem ascendência portuguesa, com dupla nacionalidade, e que, então, começar com uma cerveja envelhecida em barril de vinho do Porto como ponte para essa relação entre pai, filho e cerveja não poderia ter sido melhor.

Um brinde lá de cima

Ter a oportunidade de tomar uma cerveja com o pai seria uma das maiores alegrias de Fernando Pereira Filho. “Nunca tive o prazer de tomar uma cerveja com meu pai. Ele faleceu quando eu tinha 14 anos, mas sempre que bebo acabo lembrando dele. Gosto de pensar que lá de cima ele está abrindo uma cerveja e brindando comigo.” Fernando explica que o pai, Fernando Antonio Pereira, certamente adoraria conhecer as IPAs como a Roleta Russa (RS), e principalmente as Red Ale, por não possuírem tanto amargor. “Nunca sabemos o que o futuro nos reserva, então aproveitem a companhia de seus pais degustando juntos uma boa cerveja artesanal. Ao meu pai, um feliz dia dos pais!”

Companheirismo acentuado pela cerveja

A relação entre o pai Jeferson Ribeiro e os filhos Eduardo e Gabriel vai desde o companheirismo até as brassagens que fazem juntos. Há mais de um ano, os filhos acompanham o pai, que produz a sua própria cerveja para consumir na roda de amigos. “Meu pai se interessou primeiro nesse ramo da cerveja artesanal. Ele ficou um bom tempo dizendo que iria fazer um curso, até que um dia fez e, quando voltou, tinha descoberto o hobby que ele tanto procurava”, comenta Eduardo. Jeferson conta que tudo começou quando deu de cara com o livro “Cerveja feita em casa”, inspirando-o a entrar no mundo cervejeiro. “A história do nosso pai, a batalha dele por nossa família e o seu jeito criativo, querendo sempre melhorar no que faz, é o melhor legado que fica para nós”, finalizam.