Notícias

11
mar
2017
    Publicidade
PROFISSÃO CERVEJA: Os 10 maiores concursos de cervejas do mundo

Por Fernanda Meybom, engenheira química, sommelière e Mestre em Estilos e Avaliação de cervejas.

A cerveja artesanal brasileira celebra sua grande festa neste mês de março com o Festival Brasileiro da Cerveja e o Concurso Brasileiro de Cervejas (CBC). Dados divulgados recentemente pela organização informam que a competição, sediada na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, atingiu o recorde de 2.034 inscrições, posicionando-a momentaneamente como o quarto maior concurso de cervejas comerciais do mundo. Momentaneamente porque 2017 está apenas começando e entre os concursos listados como os 10 maiores do mundo, o do Brasil é o segundo a acontecer. Desta forma, será interessante acompanhar o desempenho das demais competições no decorrer deste ano e de 2018 para verificar principalmente se este crescimento é mais destacado no Brasil ou se é uma tendência cervejeira mundial.

De qualquer maneira, considerando dados dos concursos realizados em 2016, a maior competição brasileira de cervejas teve 1.469 inscrições, o que a coloca como o sexto maior concurso de cervejas comerciais do mundo.

copos

Vale ressaltar que a maioria dos concursos elencados aqui aceitam cervejas de diferentes países, exceto o Great American Beer Festival (GABF), Birra Dell`Anno (Italia) e o Concurso Brasileiro de Cervejas. Por isso, se pensarmos em um concurso com cervejas apenas do próprio país em que é realizado, o Brasil fica atrás apenas dos EUA com o seu GABF.

Impressionante não?! Sim e bastante! De acordo com dados divulgados pela Brewers Association (BA), o mercado de cerveja americano já ultrapassou o número de mais de 4 mil cervejarias, e o GABF celebrou em 2016 sua 30ª edição. Já no Brasil, estamos apenas na 5ª edição de um concurso nacional e, sim, ainda temos um mercado recente de cerveja artesanal de um pouco mais de 10 anos.

Claro que nossa história com a cerveja é mais antiga do que esses 10 anos e começa nos tempos de colonização do Brasil. Podemos dizer que seu início foi com cervejas artesanais, pois as primeiras cervejas que desembarcaram no Brasil e, ainda, que foram produzidas artesanalmente em terras tupiniquins foram as Ales e não as populares Lagers vastamente conhecidas e bebidas por aqui hoje em dia. As cervejas artesanais ficaram esquecidas por bom tempo. Porém, apesar de nossa história com cervejas do tipo Pilsen ser absurdamente marcante e ainda este ser o tipo de cerveja mais produzido e consumido em nosso país, é inegável a mudança real que estamos vivendo em nossa cultura cervejeira nos dias atuais.

Tanto é verdade que o mercado cervejeiro brasileiro vem registrando dados expressivos. Um recente estudo publicado pelo Instituto da Cerveja Brasil (ICB) mostra que, em 2005, o Brasil tinha 46 cervejarias; 10 anos depois, este número pulou para 372. Até maio de 2016, o Ministério da Agricultura divulgou o número de 397 microcervejarias registradas na entidade. E o estudo publicado pelo ICB estima que, até o final deste ano, o Brasil ultrapasse 500 microcervejarias. O Concurso Brasileiro de Cervejas também é um reflexo da evolução no número de cervejarias em nosso país:  na edição de 2017, 332 microcervejarias se inscreveram na competição, ou seja, a maioria delas.

De fato, hoje é possível afirmar que vivemos no Brasil uma grande revolução cervejeira, bem no começo, é verdade, mas já com uma posição de destaque tanto no Brasil, quanto no exterior. E que tal brindarmos nossa evolução no mercado cervejeiro no Festival Brasileiro da Cerveja?!

 

Vejo vocês por lá!

Saúde!