ABCerveja: Session Beers pegando leve

Ilustração: Iuri Lang Meira

Elas começaram a chegar ao Brasil por volta de 2014, mas já existiam desde 2004 nos EUA, ou até antes. Têm como características básicas o baixo teor alcoólico (5% ABV, no máximo) e o alto drinkability. Maurício Chaulet, empresário cervejeiro, especialista em cervejas, juiz internacional de concursos e um dos fundadores da Lagom (RS), explica aqui um pouco mais sobre essa categoria que chegou como um modismo e acabou ficando.

O termo hoje refere-se às cervejas de baixo teor alcoólico, propícias para se beber em grandes volumes. Segundo Chaulet, pesquisadores de cerveja acreditam que o termo “session” é relativo aos períodos de descanso que os trabalhadores ingleses tinham durante a 1ª Guerra Mundial, quando aproveitavam para tomar cerveja antes de voltar ao trabalho.

“As preferidas eram as de baixo percentual alcoólico, para não afetar o rendimento no trabalho que se seguia, podendo ser consumidas em grandes quantidades.” Chaulet explica que a Session Beer não pode ser considerada um estilo porque engloba apenas uma característica em comum: baixo teor alcoólico.

Quer ler a matéria completa? Adquira a edição #42 da Revista da Cerveja.

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*