Profissão Cerveja: beber, degustar e avaliar

Beber, degustar e avaliar uma cerveja podem soar como atividades parecidas, mas seus objetivos e finalidades são definitivamente bem diferentes.

 

Podemos dizer que, de fato, bebemos a cerveja em todos os casos. Quando falamos em “beber cerveja” isso normalmente remete a algo mais descompromissado– ou a bebida é um acompanhamento a algum alimento, ou apenas bebemos nossa cerveja sem pensar muito sobre ela.

Já “degustar” significa saber o que estamos bebendo, e “como” vamos beber já ganha uma importância bem maior. Normalmente, escolhemos o copo ou taça, olhamos nossa bebida, observando a cor da cerveja e formação de espuma, sentimos o aroma e depois bebemos sentindo o sabor da cerveja e seu retrogosto. Na degustação, nosso gosto pessoal também conta, normalmente.

A degustação em si já é algo um pouco mais próximo da avaliação formal. Porém, avaliar tecnicamente uma cerveja vai bem além de apenas degustá-la. A avaliação técnica em competições cervejeiras ocorre principalmente para fornecer um feedback para o cervejeiro, o que o ajudará a fazer ajustes no estilo (caso necessite), ou ainda a melhorar o processo de fabricação da cerveja, caso ela apresente algum defeito que pode ser caracterizado como falha de produção ou falha na receita da cerveja. A avaliação imparcial do produto através de uma competição às cegas também garante que este seja um método de selecionar e destacar cervejas umas das outras (como já falamos no post sobre cervejas premiadas.

A avaliação técnica não pode ser realizada por qualquer pessoa, ela precisa ser feita por profissionais especializados e bem treinados em análise sensorial de cerveja – ou seja, não basta fazer um único curso, como, por exemplo, o Sommelier de Cervejas. O avaliador precisa estudar e treinar bastante até que possa avaliar tecnicamente a bebida. Estes estudos não envolvem apenas beber diversas cervejas, as famosas “horas de copo”, mas também muitas horas de estudos com livros técnicos sobre tipos de processo, técnicas de produção, tipos de ingredientes e matérias-primas utilizadas na fabricação, técnicas de degustação e avaliação, análise sensorial, on-flavors e off-flavors, isso só para citar o básico.

Avaliar tecnicamente uma cerveja pode soar como algo bem divertido, mas na verdade não é uma tarefa fácil. Requer muita responsabilidade e conhecimento. Também é considerada uma grande honra para um profissional da cerveja ser convidado para jurado em concursos oficiais, sendo que esta é uma atividade não remunerada e, normalmente, apenas despesas de alimentação e hospedagem são pagas ao júri técnico.

Além disso, existem alguns programas que certificam profissionais para estas atividades, como o Beer Judge Certification Program (BJCP) e o Cicerone® Certification Program. Em ambos o profissional precisa realizar provas e testes com degustação para obter as certificações.

 

E aí, qual dessas tarefas você prefere: beber, degustar ou avaliar uma cerveja?

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*