Caropreso com cerveja: chuva, suor e cerveja

Por Luiz Caropreso, sommelier de cervejas, professor pela Doemens Akademie e diretor da BeerBiz – Cultura Cervejeira.

Olá, meus amigos cervejeiros!

Inicialmente, desejo que 2017 seja um ano repleto de boas cervejas que caibam nos bolsos de todos.

Estamos nos aproximando do carnaval, que acredito ser a maior festa popular do mundo. Caetano Veloso imortalizou nosso líquido sagrado em uma música cantada até hoje por todos os cantos do país: “Chuva, suor e cerveja”.

No embalo dessa canção, seguem minhas indicações para harmonizar com sua festa.

 

Berggren APA: a cervejaria de Nova Odessa/SP trouxe para seu portfólio uma American Pale Ale com 5,5% de teor alcoólico, bastante frutada, com aromas de frutas tropicais e cítricos, algum condimento e uma boa drinkability, oferecendo bastante refrescância para os foliões mais animados que gostam de curtir os blocos de rua. Para harmonizar, um espetinho suíno ou de linguiça picante.

Berggren APA

 

Leuven Belgian IPA: antes de abrir, vale baixar o aplicativo “Cervejaria Leuven AR” e checar os efeitos de realidade aumentada dos rótulos. Você vai se surpreender! Falando especificamente da cerveja, uma explosão de frutas como maracujá, manga e pêssego no aroma, que se confirma na boca. De amargor pouco intenso para o estilo e paladar levemente adocicado e seco, acompanha muito bem um cheeseburger de cordeiro e queijo cheddar, com cebolas caramelizadas. Vale a pena colorir seu carnaval com essa Belgian India Pale Ale de Piracicaba/SP de 7,5% de álcool.

Leuven Belgian IPA

 

Júpiter Tânger: quando pensamos em estilos de cerveja apropriados para o carnaval, com toda certeza a Witbier estará entre eles. Leveza e refrescância é o que iremos encontrar na Tânger, um exemplar de 4% de álcool feita pela cigana Júpiter no estado de São Paulo. Uma cerveja elaborada com muito capricho e que, ao invés da tradicional casca de laranja, leva casca de tangerina, emprestando um sotaque brasileiro. Combina muito bem com picolés de frutas tropicais ou mesmo uma salada de frutas geladinha.

Júpiter Tânger

 

Dogma Panopticon Times: essa Saison com 5,6% de álcool é fruto de uma produção colaborativa entre a Dogma, de São Paulo, e a californiana Modern Times. Rústica, mas elegante, muito bem equilibrada, com alguma acidez trazida pela utilização do brasileiríssimo cajá-manga, e leve dulçor. Para acompanhar, um burger vegano de shitake com tofu defumado.

Dogma Panopticon Times

 

Tupiniquim Funky & Sour: para encarar a terça-feira, último dia de festa, quero indicar a Funky & Sour feita em Porto Alegre/RS pela Tupiniquim, com 4,5% de álcool. Uma Sour com Brett, extremamente refrescante, que traduz numa taça, com seus aromas e sabores, aquela definição de Caetano para o carnaval: “Chuva, suor e cerveja”. Beba e chegue às suas próprias conclusões. Harmonize com um sanduíche de salmão curado (gravlax) com sour cream e dill no pão australiano.

Tupiniquim Funky & Sour

 

E não se esqueçam: curtam seu carnaval com muito prazer, mas com responsabilidade.

 

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*