Catharina Sour completa três anos no BJCP: a importância, o crescimento e o futuro do primeiro estilo brasileiro de cerveja

Em julho de 2018, guia internacional reconheceu a criação e trouxe mais visibilidade para o mercado nacional da bebida. Produção pelas cervejarias artesanais começou há cinco anos.

Há três anos, o Beer Judge Cerfication Program (BJCP) atestou o movimento criativo dos cervejeiros brasileiros. A Catharina Sour, estilo criado em 2016, entrou oficialmente para um dos guias mais importantes do mundo da bebida no dia 4 de julho de 2018. A inclusão aconteceu apenas três anos depois das primeiras produções, nas panelas dos cervejeiros caseiros.

A Catharina Sour é uma cerveja refrescante, com baixo amargor, corpo leve e boa carbonatação. A graduação alcoólica vai de 4% a 5,5% e o índice de IBUs varia de 2 a 8. Entre as obrigatoriedades do estilo está a inclusão de uma fruta, de origem brasileira ou não.

Carlo Bressiani, diretor da Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM), diz que o ingresso no BJCP é, por si só, um marco. No entanto, o grande destaque da Catharina Sour é refletir a brasilidade e, exatamente por isso, ter se tornado um símbolo da relação do país com a bebida. “É um estilo refrescante, tropical, que abre uma variedade infinita de variações regionais. Ela mostra que os cervejeiros daqui podem criar cervejas diferentes, através de capacidade técnica e insumos para isso”, explica. “Fazer boas cervejas criadas em outros locais é uma tarefa difícil, que já conseguimos cumprir. Já construir um estilo mostra o quanto podemos ser competentes na inovação em relação ao mercado cervejeiro global”, ressalta.

A evolução na percepção dos brasileiros sobre o que é cerveja passa pela popularização de estilos como a Catharina Sour, de acordo com o especialista no mercado cervejeiro. “Até pouco tempo atrás, cerveja tinha uma cor e temperatura para o público. Quando desconstruímos isso, trazemos para o consumidor uma amplitude sensorial que conecta definitivamente a cerveja a cultura, a história e a gastronomia”, destaca Bressiani.

História do estilo

A história da Catharina Sour é recente e o estilo se popularizou rápido. A ideia surgiu através dos cervejeiros caseiros de Santa Catarina em 2015. Em 2016, um workshop levou o conceito para as fábricas artesanais e, já no mesmo ano, a Cerveja Blumenau lançou a primeira edição em garrafas registrada no país. Desde 2017, a Catharina Sour é um dos estilos disputados no Concurso Brasileiro da Cerveja. Em 2021, foi o segundo mais concorrido, com mais de 115 cervejas inscritas.

No Untappd, rede social dedicada à cerveja, mais de 570 rótulos estão cadastrados. Eles são produzidos não só no Brasil, mas também em países como a Polônia, Argentina e os Estados Unidos.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*