Cerveja e mercado: uma qualidade extraordinária da cerveja, o preço

Por Richard Westphal Brighenti, beer sommelier, sócio e cervejeiro da Lohn Bier (SC).

Cerveja artesanal vale o quanto pesa, e o preço estará cada vez mais como evidência nos motivos que o consumidor mostra relevante para sua escolha. As cervejarias já equalizam suas planilhas para continuar entregando boas cervejas com preços honestos. Nós consumidores, sim, também compro cervejas, estamos cada vez mais medindo nosso recurso super limitado, o nosso dinheiro.

No último GABF, brasileiros voltaram dos EUA dizendo serem as Lagers as cervejas tendência para o Brasil, habituados ao lifestyle americanizado, não se pode duvidar. Afinal, uma boa cerveja Lager sempre será bem vinda. E as cervejas Lager mudaram com as novas tecnologias. Lagering era o processo de armazenar cerveja por um longo período em temperaturas baixas, deixando a cerveja mais límpida e se mostrando mais generosa nos ingredientes.

Atualmente com novos equipamentos filtrantes, é possível obter exímio resultado com menos tempo de maturação nas cervejas tipo Lager, comparado à cervejas Ale, geralmente mais alcoólicas e com mais ingredientes, ou variação deles. Por favor, não é uma equação absoluta, há Ale com menor complexidade ou álcool que uma Lager, e não vamos mudar isto. Mas com menor carga de insumos e menor tempo de tanque, as Lagers são sim as cervejas com menor precificação nas fábricas.

É assim há muito tempo. Viveremos tempos de beber muita Lager e seguiremos com fé. Existem muitas cervejarias surgindo, com um plano de negócios inexistente ou engenhoso demais, se pequenas não deverão fazer Lager, e são geralmente criativas demais com o produto ou Storytelling, e neste momento o preço deixa de ser balizador para fabricar e vender.

A cerveja que o povo gosta é aquela que o seu dinheiro pode pagar. Há poucos dias ouvi alguns Podcasts brasileiros sobre cerveja em um aplicativo. Fiquei surpreso demais com a quantidade de rótulos que existem em outros Estados brasileiros, de quase cinco dezenas citados, conhecia quatro. Significa dizer que estes rótulos em maioria não atravessam fronteiras (leia-se Estados).

Ora por distribuição ou logística (são dois termos distintos), ora pelo fator que oferece mais dificuldade: abismo tributário entre os Estados. As cervejas tipo Lager, ou de menor precificação são mais sensíveis à esta variável. Em outro Estado, outras cervejarias farão cervejas Lager com preço competitivo, ainda que não com a mesma qualidade.

É inversamente verdade para cervejas com personalidade, algumas vezes com receitas únicas, onde o consumidor deseja um rótulo e aceita pagar essa distorção de valor. Também é verdade para sites de e-commerce. Cada Estado possui suas alíquotas de ICMS e ICMS-ST, e alguns Estados são mais inóspitos, existe um Fundo de Amparo à Pobreza que em alguns estados chega a 30% do valor somado do ICMS, distorcendo ainda mais a diferença de preço.

Lembrando que para um site brasileiro, é possível que se arbitre apenas um preço. Tempos atrás o código de defesa do consumidor proibia dar desconto ou não para pagamento com cartão de crédito, é também verdade que muitos ainda mantenham esse engessamento. Algumas alternativas de sites mais conhecidos, é dar frete grátis para algumas regiões no intuito de diminuir o impacto do preço, mas acredite, o preço já está no produto.

Seja presencialmente em um bar, no AS (Auto Serviço) ou comprando no conforto de alguns cliques, o ticket médio de compra dos brasileiros com cervejas tendem a diminuir. Depois de flertar com cervejas extremas o consumidor sempre voltará pra o conforto de cerveja boa e bem feita. As Lagers valem quanto pesam, não são moda, são lindas.

Escrevendo meio rápido, cada parágrafo bebi um gole e consegui terminar o artigo antes de acabar com a minha cerveja Lager, claro. Nos encontramos em outra garrafa. Cervejarias, apertem suas planilhas.  Distribuidores, ampliem sua oferta. Consumidores, saúde.

One Comment

  1. Precisamos buscar arranjos para conseguir vender a preços mais competitivos as cervejas artesanais. Por exemplo um evento exclusivo para cervejarias fabricantes (ciganas não teriam preço) com venda direta ao consumidor final sem ST. Atualmente aqui no Espírito Santo temos muitos eventos que cobram taxa de 20% das cervejarias para participar, obviamente essa taxa é repassada no preço final ao consumidor.
    Temos de pensar fora da caixinha.
    Em Blumenau no Festival Brasileiro uma excelente oportunidade para beber umas e ampliar a análise do cenário, regadas, por que não, por boas lagers.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*