Caropreso com cerveja: cervejas para as festas de fim de ano

Por Luiz Caropreso, sommelier de cervejas, professor pela Doemens Akademie e diretor da BeerBiz  — Cultura Cervejeira.

Olá, meus amigos cervejeiros.

E eis que mais um ano se finda. Passamos por algumas vitórias mas também muitos percalços, com mudanças na politica, economia e no nosso segmento cervejeiro. Esperamos que realmente as coisas comecem a melhorar e que possamos colher bons frutos de nosso árduo trabalho.

Não dá para continuar trabalhando tanto produzindo cervejas maravilhosas, ganhando reconhecimento e prêmios internacionais e continuarmos quase sem nenhum apoio por parte de nossos governantes. Afinal de contas, só queremos poder trabalhar. Menos impostos e mais apoio a nossas empreitadas não é pedir muito para um segmento que emprega centenas de milhares de pessoas e representa cerca de 2% do PIB nacional.

Mas não estamos aqui para reclamar, e sim comemorar. E nada melhor para celebrar do que algumas boas cervejas. Quero, assim, atender à solicitação de nosso leitor, Pedro Rangel, e indicar algumas delícias para enchermos nossas taças e brindarmos juntos, cheios de esperanças por um 2020 extremamente feliz.

Cerveja: Dupont Avec les Bons Voeux
Cervejaria: Brasserie Dupont — Rue Basse 5, 7904 Leuze-en-Hainaut, Bélgica
Estilo: Saison
ABV: 9,5%

A tradução de “Avec les bons voeux” para o português é algo como “com nossos melhores votos”. Essa cerveja foi criada pela Brasserie Dupont em 1970 para oferecer como um presente de final de ano aos seus clientes. A produção era limitadíssima e as poucas garrafas que sobravam para comercialização eram “disputadas a tapas”, a ponto de se criar uma lista de espera vários meses antes da disponibilização. Esse sucesso fez com que a cervejaria decidisse colocar a cerveja em linha.

Essa é uma Saison bem diferente. Se aproxima em sabores a uma Tripel, por conta de como se trabalham as leveduras. Sirva em taças de espumante de boca larga para aproveitar todos os seus aromas de frutas cítricas, como laranja, grapefruit e limão siciliano, e amarelas, como damascos, pêssegos e passas brancas. Tem coloração amarela com lindos reflexos dourados. Para harmonizar, além de castanhas e frutos secos natalinos, podemos seguir a indicação da própria cervejaria: “Beber à temperatura da adega (12 °C) ou mesmo resfriada, como aperitivo ou como companheira do seu patê, enguias a escabeche e nosso queijo Carré à Moinette”.

Cerveja: Wäls Brut
Cervejaria: Wäls (Ambev) — R. Padre Leopoldo Mertens, 1460, São Francisco, Belo Horizonte/MG
Estilo: Bière Brut
ABV: 11%

Uma cerveja brasileira que pertence ao estilo Bière Brut e passa pelo método champenoise. É produzida com leveduras de champanhe e leva extratos de laranja e de semente de coentro. De cor dourada, brilhante, deve ser servida em taças de champanhe para se apreciar a sua elegância sedutora, refletida num perlage duradouro.

Tem perfumes de frutas cítricas e de uvas brancas. Traz ao palato leve acidez, dulçor fugaz e final seco. Ofereça uma taça na chegada dos seus convidados. Brinde com ela à meia-noite do Natal e da passagem do ano. Acompanhe com carnes brancas e frutas frescas.

Cerveja: Eggenberg Samichlaus Classic
Cervejaria: Schloss Eggenberg — Eggenberg 1, 4655 Vorchdorf, Áustria
Estilo: Doppelbock
ABV: 14%

Curiosamente, esta cerveja é produzida somente uma vez por ano, em 6 de dezembro, dia de São Nicolau na Bélgica. O seu processo de fabricação é bastante complexo e ela pode envelhecer por muitos anos na garrafa, a fim de amadurecer e ganhar novos sabores. Tem coloração marrom avermelhada cintilante.

Traz aromas e sabores complexos de ameixas, malte e caramelo. Durante muito tempo, foi considerada a cerveja mais alcoólica do mundo, fato inusitado por ser uma Lager. A Samichlaus é uma ótima opção para acompanhar frutas secas e panetone, servir como digestivo numa taça de licor, e você ainda pode usar como ingrediente, no lugar do rum, para preparar seu eggnog.

Cerveja: Rodenbach Classic
Cervejaria: Brouwerij Rodenbach N.V. — Spanjestraat 133 B-8800 Roeselare, Bélgica
Estilo: Flanders Red Ale/Oud Bruin
Teor alcoólico: 5,2%

Segundo a própria cervejaria, a Rodenbach Classic define o padrão para as cervejas Flemish Red-Brown. De coloração marrom avermelhada, reflete lindos feixes acordados quando servida. Tem sabores e aromas de frutas, prevalecendo frutas vermelhas e passas, e algo vínico que remete a um bom aceto balsâmico de Modena. Na boca, além do frutado, traz um um marcante agridoce e refrescância. A Rodenbach recebe fermentação híbrida, é uma Ale que refermenta durante a maturação em barris de carvalho, através das leveduras selvagens e bactérias ali impregnadas.

A sua extrema complexidade acaba contribuindo para torná-la uma excelente companhia para vários pratos. Funciona muito bem com frutas secas (nozes, amêndoas, avelãs) e passas (uvas, figos, ameixa, tâmaras), carnes de aves e, principalmente, suínas assadas. Vai bem também com doces à base de chocolates, cheese cake de frutas vermelhas e bolos natalinos.

Por este ano, é isso, gente. Meus mais sinceros desejos de que todos tenham um santo Natal iluminado e que 2020 venha repleto de sucessos, prosperidade e muita cerveja boa. Até o ano que vem!

>> Leia a última coluna de Luiz Caropreso

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*