Colombina lança a linha Rensga que leva adição da mandioca na cerveja

Rensga, nova linha de cervejas artesanais Colombina (GO) dá visibilidade à trajetória dos pequenos agricultores familiares ao inserir no rótulo um QR code que permite a rastreabilidade da matéria-prima produzida em Goiás .

Acostumada a dar visibilidade à riqueza das especiarias e frutos do Cerrado Brasileiro, ao criar cervejas que promovem combinações inusitadas e especiais desses elementos com o lúpulo e o malte, a Cervejaria Colombina acaba de lançar uma nova linha chamada Rensga, que traz em sua composição a mandioca.

Agora, além do beneficiamento de frutos como cagaita, mamacadela, pequi, ou mesmo a baunilha do cerrado, castanha de baru, entre outros, entra em cena a raiz mais nacional de todas, base da alimentação de nossos povos primitivos e que, inclusive, integrou no passado a bebida Kaüí na língua tupi, um fermentado a base de mandioca.

A expressão Rensga é a tradução literal de tudo que é surpreendente aos olhos do goiano. Ao adotá-la para batizar a nova linha de cervejas especiais da Colombina, a cervejaria reafirma sua posição estabelecida desde o nascimento da marca há sete anos; o da valorização da riqueza cultural e gastronômica regional, pautada na relação comercial mantida com os pequenos produtores de insumos como castanhas (baru), especiarias (baunilha do cerrado) e de frutos do cerrado.

A nova linha traz em sua composição 16% de mandioca, ingrediente inusitado para os padrões da cervejaria, que vinha pautando suas receitas na combinação de malte de cevada, porém que confere um atributo importantíssimo à toda cerveja: o carboidrato que será transformado em álcool durante o processo de fabricação da cerveja. Combinado aos cereais maltados, a mandioca se insere naturalmente no processo de fabricação resultando no teor alcoólico almejado pelos cervejeiros, e deixando a cerveja um pouco mais leve, porém sem alterar significativamente os demais atributos sensoriais da bebida.

“O resultado final foi uma bebida leve e muito agradável de ser degustada. Sensorialmente a presença da mandioca é praticamente imperceptível, não alterando no sabor ou aroma”, explica o sommelier de cervejas da Colombina, Alberto Nascimento. A escolha pela inserção da mandioca na cerveja foi motivada por uma iniciativa da Secretaria de Estado da Retomada do Governo de Goiás que tem buscado fomentar a agricultura familiar, por meios legais que viabilizem a maior inserção de seus produtos.

“Vislumbramos com esse projeto um reforço dos valores defendidos pela Colombina, de priorizar o pequeno produtor no fornecimento de nossas matérias-primas. Portanto, nos dedicamos a idealizar um produto que pudesse integrar nosso portfólio com a mesma qualidade dos demais”, esclarece Patrícia Mercês, CEO da Colombina.

Parceria

Com auxílio da Secretaria Estadual da Retomada, a Colombina conseguiu contato direto com a Associação dos Agricultores Familiares de Bela Vista de Goiás (Afabev), estabelecendo com isso uma parceria comercial, com projeção de aquisição de uma tonelada mensal de mandioca, ainda no primeiro semestre. No entanto, para os cervejeiros, a relação estabelecida com as famílias de agricultores deveria transcender a questão comercial e se tornar uma oportunidade de contemplar a trajetória dessas pessoas diretamente ligadas à terra e ao sustento das comunidades próximas a elas.

Para isso, a cervejaria está trazendo de forma inédita nos rótulos de Colombina Rensga! um QR Code que dá acesso a informações sobre a procedência da matéria-prima e da família goiana que a forneceu. “Para além da rastreabilidade do ingrediente local presente na bebida, foi uma maneira inovadora que encontramos de contar a valiosa história dessas pessoas que estão na ponta do processo fabril, lidando com a terra para nos prover de matéria-prima”, enaltece a CEO da empresa.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*