Coluna: Palavra de Burgomestre

Sady

Sady Homrich é baterista da banda Nenhum de Nós e engenheiro químico.

Após ultrapassar a marca de 100 perguntas respondidas na Palavra de Burgomestre, começamos a responder AS MESMAS questões, revendo muitos dos conceitos que, afinal, evoluíram desde abril de 2012.

109) Qual a diferença entre chope e cerveja?
Aqui no Brasil, convencionou-se que as garrafas, depois de passarem pela pasteurização, eram rotuladas e chamadas de cerveja, com validade maior do que o chope, que é a mesma cerveja que ia direto para o barril sem pasteurizar. Um dos grandes desafios das microcervejarias para implementar qualidade é tentar evitar ao máximo, ou, pelo menos, diminuir esse choque térmico. O sistema flash de pasteurização é um avanço, mas outros fatores devem ser levados em consideração, como uma gestão de assepsia muito criteriosa. Muitas cervejas com alta carga de alfa-ácidos provenientes do lúpulo têm a sua validade  garantida pela sua característica bacteriostática e não passam por esse estresse térmico. Uma centrífuga também pode ajudar, desde que haja cuidado com a oxidação, ou o transporte e estoque em cadeia fria, o que encarece o produto.

Quer ler a coluna completa? Adquira a edição #37 da Revista da Cerveja.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*