E-commerce: a ferramenta que veio para ficar

A pandemia pegou muita gente de surpresa, causando um grande impacto inicial. Mas, aos poucos, veio a reação. O meio digital foi um dos tantos caminhos encontrados para enfrentar a crise. Com bares, restaurantes e outros pontos de vendas fechados, o e-commerce foi um socorro de primeira hora, embora algumas empresas já estivessem munidas da ferramenta. O fato é que ela é um canal de vendas que, definitivamente, veio para ficar, com toda a sua eficiência e longo alcance.

É geral a avaliação de que o impacto da crise da Covid-19 no meio cervejeiro foi grande: Eliana Cassandre, head de marketing do Grupo Petrópolis (RJ), diz que o fechamento de pubs, bares e restaurantes afetou diretamente o mercado cervejeiro por representar cerca de 40% das vendas de cerveja. Mesmo com o autosserviço funcionando, houve, no início, uma priorização da compra de produtos primários. “Por isso, tivemos que reinventar nossa forma de atuar, acelerar mudanças e priorizar o que era mais urgente para o consumidor. Apesar de todas as dificuldades, o setor superou as expectativas como um dos que melhor soube reagir. A resiliência veio principalmente com a aceleração do e-commerce, por exemplo.

Quer ler a matéria completa? Adquira a edição 49 da Revista da Cerveja.

Ilustração: Eduardo Soares

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*