Mestre-cervejeiro com muita estrada

Rudiger

Natural de Niterói/RJ, ele passou por várias cervejarias, lugares diversos e empregos no meio cervejeiro, entre muitas idas e vindas. Ajudou a consolidar cervejarias, estudou na Alemanha, na famosa universidade de Weihenstephan, de Munique. Mas, por mudanças pedagógicas no país, não pôde concluir o curso de mestre-cervejeiro na consagrada escola, o que acabou fazendo na escola técnica de cervejaria, malte e pesquisa Doemens Akademie, também em Munique. 

Por influência dos pais e avós, ele já tinha algumas informações sobre cerveja. Quando terminou o ensino médio, começou o aprendizado na cervejaria Brahma. Candidatou-se a uma vaga e foi aprovado. A partir dali, teve início uma intensa trajetória cervejeira, com passagens por vários lugares: dois anos na sede da Tijuca/RJ, tendo sido depois transferido para a antiga Filial Continental, em Porto Alegre/RS, onde aprendeu mais sobre processos cervejeiros e insumos.

Também passou pela Maltaria Navegantes e pela colheita da cevada em Passo Fundo. Em seguida, foi para Curitiba/PR, para depois voltar para a Filial do RJ, onde estudou análise laboratorial e ficou quase quatro anos. Em 1978, foi estudar na Alemanha. “Peguei meu canudo lá. Depois, voltei ao Brasil em 1981.” Ficou no Rio de Janeiro até ser transferido para o laboratório da unidade de Jacareí/SP, de tecnologia de ponta. Lá esteve até 1995.

Quer ler a matéria completa? Adquira a edição #39 da Revista da Cerveja.

Foto: Carol Godefroid

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*