Mundo: o cenário cervejeiro peruano

Beer sommelier desde 2013 e juíza do Beer Judge Certification Program (BJCP) desde 2015, hoje trabalhando na Cervecería Barbarian, uma das maiores do Peru, Andrea já esteve duas vezes participando do júri do Concurso Brasileiro de Cervejas de Blumenau/SC.

De 2014 a 2017, trabalhou na Nuevo Mundo Cervecería, onde ficou até entrar na Barbarian. Seu trabalho envolve representar a marca, atender aos principais clientes, realizar análises sensoriais e capacitação, promover cursos e participar de atividades na Bélgica, Brasil e Chile. A Barbarian produz 30 mil litros/mês, tem mais de 400 pontos de venda e exporta para Brasil, Chile, Espanha e EUA.

Natural de Lima, capital peruana, onde vive, Andrea conta que os três sócios da Barbarian — Diego Rodriguez, Ignacio Schwalb e Juan Diego Vasquez — são amigos desde a época do colégio. Estavam cansados da pouca variedade de estilos existentes no mercado peruano e resolveram abrir um brewpub.

O que começou como hobby, tornou-se sério: em 2011, engarrafaram a primeira cerveja, uma Red Ale — porém, era necessário constituir uma empresa. Foi assim que nasceu a Barbarian, que hoje conta com três espaços em Lima.

Trabalhando em cervejarias, Andrea aprendeu tudo sobre produção cervejeira, assunto que passou a dominar ainda mais quando fez o curso do BJCP. De lá para cá, a situação evoluiu no seu país. “Graças à cervejaria em que trabalho foi possível abrir o campo para cervejas em restaurantes e hotéis.”

Quer ler a matéria completa? Adquira a edição #36 da Revista da Cerveja.

Foto: Letícia Garcia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*