Na panela: persistência e inspiração em forma de APA

O dentista Lucas, 38 anos, natural de Tubarão/SC, entrou para o mundo da cerveja artesanal em 2010, quando parentes abriram o bar Gato Mamado, em Florianópolis/SC, um dos primeiros do gênero da cidade. Há oito anos, talvez não imaginasse levar prêmios importantes no 13º Concurso Nacional das Acervas, realizado em Belo Horizonte/MG, no primeiro semestre deste ano. A sua cerveja orgaXmatronic foi vencedora na categoria American Pale Ale, levando, ainda, o 1º Best of Show (BOS) do concurso.

No bar, Lucas teve contato com os novos estilos de cerveja e, desde então, como ele mesmo diz, fez um caminho sem volta ao mundo cervejeiro. “Sempre gostei de beber cerveja, mas, como quase todo brasileiro, bebia o que havia à minha disposição, ou seja, as cervejas de massa.” De lá para cá, aprofundou-se nas artesanais e, há dois anos, tornou-se homebrewer.

Quer ler a matéria completa? Adquira a edição #37 da Revista da Cerveja.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*