O potencial das madeiras brasileiras

Texto: Letícia Garcia | Foto: Raissa Fraga

O uso de madeiras na produção cervejeira já é bastante conhecido. Quem reina entre os cervejeiros no momento é o carvalho, gênero nativo do Hemisfério Norte. Mas a riqueza da biodiversidade brasileira pode oferecer centenas de opções sensoriais para as artesanais. Eduardo Martins e Luis Eduardo Neves uniram-se para pesquisar e divulgar entre os cervejeiros o até então pouco explorado universo de madeiras brasileiras.

A amburana desponta como uma madeira nacional popular e até muito utilizada na produção local. Mas, além dela, existem outras 150 madeiras da Amazônia, 10 do Cerrado e oito da Caatinga com potencial para tanoaria — e, deste total, 60% já apresentaram bom potencial sensorial. É o que revela o trabalho do Projeto Tanoa, que uniu dois especialistas na pesquisa sobre as potencialidades da flora nacional.

Quer ler a matéria completa? Adquira a edição #42 da Revista da Cerveja.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*