Os processos diferenciados de envase

No fim de tudo, a cerveja acaba envasada em barris, garrafas ou latas, pronta para ser consumida pelos apreciadores. Mas, para isso, passa por vários processos de envase. De acordo com o perfil de quem produz — grandes, pequenas, microcervejarias, ciganas e homebrewers —, recebem tratamentos diferenciados, alguns mais simples, outros mais complexos, que atendem especificamente às suas necessidades, como veremos a seguir.
Começando pelas cervejarias: nelas, os envases são feitos, principalmente, em garrafas de vidro e latas de alumínio. Segundo Roberta Pierry, proprietária da cervejaria Sapatista, de Porto Alegre/RS, as garrafas de vidro, em geral, são na cor marrom, mas também podem ser verdes, azuis ou transparentes e em diferentes formatos e tamanhos.
“A escolha da garrafa vai depender da receita e do que se espera da cerveja. Em relação à cor, quanto mais escura, menor a passagem de luz para a cerveja. As latas em alumínio têm ganhado uma grande atenção das cervejarias nos últimos anos: a gente vê um movimento crescente da substituição do vidro pelo alumínio.” Ela diz que a garrafa em vidro é a embalagem de cerveja mais tradicional, já com a lata, afirma que muita gente ainda tem um certo preconceito com ela, mas, mesmo assim, diz que a sua relação de vantagens é bem maior.
Leia a matéria completa na edição 52 da Revista da Cerveja.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*