Profissão Cerveja – Um novo guia de estilos de cerveja (comentários parte 1)

Fernanda Meybom

Por Fernanda Meybom, engenheira química, sommelier e Mestre em Estilos e Avaliação de cervejas.

No final de 2020, houve o lançamento de um novo guia de estilos de cervejas. Hoje, além dos já bem conhecidos Beer Judge Certification Program (BJCP) e Brewers Association (BA), ambos dos Estados Unidos, a Europa, através do European Beer Consumers Union (EBCU), apresentou para o mercado cervejeiro sua versão de guia de estilos de cervejas.

O guia do EBCU foi elaborado sob a coordenação do renomado escritor inglês, Tim Webb, autor de diversos livros, incluindo o Atlas Mundial da Cerveja, por exemplo. O EBCU apresenta definições interessantes no seu guia, como:

Sobre o que é um estilo de cerveja:

“Um estilo de cerveja é um acordo informal entre um cervejeiro e um cliente, expresso por meio de um nome em um rótulo, pelo qual o primeiro dá ao segundo uma ideia aproximada do que estão prestes a comprar.”

Basicamente, relaciona a importância do cliente saber, através do nome do estilo, o que “esperar” do sabor da cerveja.

Sobre como surge um novo estilo de cerveja:

“Alguns estilos de cerveja já existem há séculos, enquanto outros vêm de um momento de inspiração ou planejado por um cervejeiro em particular, e que causou tanto impacto, que outros sabiam que precisavam fazer aquele tipo de cerveja também.”

Segundo os autores do guia europeu, o termo estilo de cerveja foi usado para reunir uma gama mais restrita de cervejas que têm em comum características mais específicas, podendo algumas serem relacionadas a origens históricas ou geográficas compartilhadas. Além disso, ressalta que talvez, um estilo de sucesso possa assumir diferentes formas, mantendo características essenciais, mas mudando detalhes como força, cor, perfil de grão, caráter do lúpulo ou processo de fabricação. Quando tais variantes num determinado tipo de cerveja são consideradas bem estabelecidas, elas são classificadas como sub -estilos.

O guia destaca também a importância de um concurso de cerveja e sua premiação para a cervejaria:

“Descrever os estilos de cerveja permite que as competições concedam prêmios aos cervejeiros que fazem tecnicamente a melhor cerveja dentro daquele estilo, fazendo com que outros tentem melhorar seus próprios produtos. Também auxilia na discussão sobre os diferentes tipos de cerveja e ajuda a identificar as cervejarias que parecem sempre ter um bom desempenho.”

Além disso, ressalta a importância de catalogar estilos num guia como forma de conhecimento e divulgação da informação ao consumidor:

“Para cervejeiros e consumidores, poder falar sobre estilos de cerveja, melhora a qualidade da informação e incentiva a diversidade em vez da uniformidade.”

Sobre a divisão dos tipos de cerveja em grupos no guia

Cada grupo representa um amplo conjunto de cervejas que “compartilham algumas características fundamentais que as diferenciam das demais”. O guia está dividido entre Lager e Ales.  As Lagers são divididas em “industriais” e “autênticas”. As Ales aparecem como “session strength” 2,8% a 5,5% ABV, “sampling strength” 5,5% a 9% ABV e “sipping strength” acima de 8% ABV, para categorizar pelo seu teor de alcoólico.  O grupo final inclui “special style clusters”, que são estilos como Stouts, Porters, cervejas de trigo, Farmhouse Ales, entre outros.

No próximo artigo falarei um pouco mais sobre a divisão dos estilos comentando especialmente a seguinte frase sobre a divisão de Lagers e Ales: “Na fabricação de cerveja contemporânea, a diferença entre Lagers e Ales é mais teórica do que prática.”

Você concorda com esta afirmação? Falaremos sobre isso no próximo texto do Profissão Cerveja! Até lá

Fonte: https://www.ebcu.org/the-beer-styles-of-europe-and-beyond/

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*