Raw Ale: o resgate de um processo centenário

Mais uma novidade na nossa produção cervejeira: a Raw Ale. Para falar sobre este processo, André Nóbrega, proprietário e cervejeiro da Oca Cervejaria (SP), que lançou no fim do ano passado a No Boil, primeira linha de cervejas nesse estilo no Brasil.

André começa explicando que trata-se de uma cerveja tipo Ale que não utiliza a etapa de fervura na sua fabricação. O mosto não chega à temperatura de ebulição, sendo uma técnica muito usada em países nórdicos, como Bielorússia, Dinamarca, Estônia, Finlândia, Letônia, Lituânia e Rússia. Segundo ele, a técnica surgiu na Idade Média devido ao alto preço das tinas de metal. “Originalmente, o mosto é colocado nos fermentadores logo depois da lavagem dos grãos. Como nós queríamos produzir uma Double IPA, acrescentamos o whirlpool hopping a 90 ˚C durante 2h para extração dos alfa-ácidos e óleos essenciais dos lúpulos.” Segundo o cervejeiro, a reação dos insumos gera um mosto com maiores cadeias de proteína, resultando em uma cerveja mais encorpada, com uma complexidade de sabores, como casca de grãos e um leve sabor de grãos verdes, “sem nenhum sinal de DMS, acidez ou qualquer tipo de funky”.

Quer ler a matéria completa? Adquira a edição 49 da Revista da Cerveja.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*