Primeira fábrica cervejeira negra do Brasil sofre ataques racistas nas redes sociais

Texto: Andréia Ramires / Fotos: Reprodução

O financiamento coletivo da cervejaria Implicantes, de Porto Alegre/RS, conhecida como a a primeira fábrica cervejeira negra do Brasil, gerou diversas mensagens racistas nas redes sociais na última quinta-feira, 23. Comentários de ódio foram feitos na publicação da namorada de um dos sócios, que pedia apoio ao financiamento.

O financiamento coletivo da cervejaria gaúcha surgiu devido a baixa nas vendas neste período de pandemia. Além dos eventos cancelados, que eram onde as grandes vendas da cervejaria aconteciam, até mais do que em pontos de venda, bares e restaurantes, a Implicantes teve negativas de crédito por parte de instituições financeiras, complicando ainda mais a sua sobrevivência.

“Diante disso, vimos que a nossa última cartada para conseguirmos sobreviver era o financiamento coletivo. Vimos cervejarias fazendo e observamos que dava certo, inclusive de marcas de fora do Brasil. Então, pensamos, por que não?”, relata Diego Dias, sócio e designer gráfico da Implicantes. “Assim, retribuímos conforme o bolso da pessoa e damos um produto exclusivo em troca”, acrescenta.

No entanto, o que os sócios não esperavam eram os comentários racistas que seriam feitos na publicação da namorada de Thiago Rosário, responsável pelo comercial da Implicantes, que pedia apoio ao financiamento realizado pela cervejaria. Na publicação, foram feitos comentários como: “tem uma coisa que eu odeio e começa com ‘pre’ e termina com ‘to'”, “com plaquinha da Marielle? Já começou errado”, “cervejaria alemã negra, onde vamos parar?”, “apropriação cultural de uma bebida de brancos”, “cervejaria preta brasileira, (risos), preto é fod*”, entre outros.

“Tiveram mensagens de ódio vindo até de grupos cervejeiros e isso comprovou a necessidade de existirmos, para que essas pessoas se tornem minoria e não maioria, apesar de infelizmente ainda serem a maioria. Buscamos o nosso espaço e tem espaço para todo mundo! A cerveja é democrática, mas até que ponto se a grande maioria ainda pensa pequeno dessa forma? As pessoas não aceitam a diversidade, não querem entender o que é a representatividade e é por isso que vamos seguir implicando por aí”, afirma Diego.

O financiamento, que tem como meta a arrecadação de 150 mil reais (já arrecadado até o momento R$ 121.319), tem intuito de expandir a fábrica e fazer reparos, já que foi adquirida “de segunda mão”, fazendo com que os sócios fossem surpreendidos pela vida útil dos equipamentos que já estavam perto de seu vencimento. Como os recursos financeiros são limitados, por várias vezes foi preciso que os próprios sócios realizassem consertos e manutenções na fábrica, pois era necessário escolher entre adquirir as peças necessárias para reposição ou contratar um profissional habilitado para resolver os problemas. Clique aqui para saber mais e ajudar o financiamento.

Quanto aos comentários racistas feitos na publicação, Diego afirma que a namorada de Thiago já está tomando as atitudes cabíveis e necessárias junto a um advogado. “Já tiraram print de todos os ataques e as medidas serão tomadas. São vários sentimentos misturados que temos e o que fazemos é refletir e continuar implicando por uma sociedade mais justa, diversificada, igualitária e que todo mundo se respeite.”

A busca por representatividade

A fundação da cervejaria foi instigada devido a falta de representatividade que Diego e seu irmão Daniel Dias sentiam ao frequentar eventos cervejeiros em Porto Alegre/RS. “Íamos em eventos e nos sentíamos de certa forma sozinhos, além de ver uma representação muito equivocada, com muitas falhas. Sempre relacionando uma cerveja escura com termos pejorativos e com rótulos trazendo figuras caricatas que não passavam nenhuma representatividade para nós negros. Ficávamos tristes e por isso começamos a fazer a nossa cerveja em casa e posteriormente fundamos a Implicantes”, conta Diego.

Inaugurada em 20 de novembro de 2018, dia da Consciência Negra, Diego e Daniel Dias, um designer gráfico e outro mestre-cervejeiro, respectivamente, conduzem a cervejaria com ainda mais um sócio familiar: o primo Thiago Rosário, responsável pelo setor comercial da marca. Além dos sócios, a Implicantes conta também com Marcelo Pires, do financeiro, Malu Pires, responsável técnica, Gerson Orcy, do marketing, e Andres Amorim, auxiliar cervejeiro — e o detalhe que gostam de destacar: todos negros, buscando representatividade no segmento das cervejas artesanais.

Atualmente, a fábrica localizada no bairro Anchieta, em Porto Alegre, produz três mil litros de cerveja por mês e está em fase de expansão, objetivo do financiamento realizado. A capacidade de produção da fábrica, com todos os equipamentos funcionando adequadamente, é de 10 mil litros de cerveja por mês, porém nunca foi possível passar dos 3 mil litros devido a falta de reparo na fábrica.

A cervejaria conta com quatro rótulos em linha no momento, vendidas apenas no Rio Grande do Sul, por enquanto, e todas homenageando importantes figuras negras da história. “Queremos passar ao público que existe uma cervejaria administrada por negros, e que todo povo negro que foi discriminado, que sofreu algum racismo velado, tem uma cervejaria que pode representar eles. Por isso trazemos em nossos rótulos personalidades negras como o Leônidas da Silva, Maria Firmina dos Reis, Luís Gama, Ruth de Souza, entre outros”, afirma o sócio.

A homenagem das cervejas Implicantes

American Brown Ale

A American Brown Ale da Implicantes homenageia Luís Gama, homem negro que foi vendido pelo próprio pai. Escravizado aos 10 anos, conquistou sua própria liberdade. Aos 29 anos era considerado o maior advogado abolicionista do Brasil. Para fazer jus à homenagem, a cerveja é equilibrada com alto drinkability, traz notas de chocolate e de um leve café, devido ao malte chocolate. Apresenta aroma cítrico e floral do lúpulo. A coloração é castanha clara, espuma persistente e de baixa formação.

American India Pale Ale

A IPA da Implicantes homenageia a primeira dama negra do teatro, do cinema e da televisão do Brasil, Ruth de Souza, que também foi a primeira artista nascida no país a ser indicada ao prêmio de melhor atriz no Festival de Veneza de 1954. Em 1968, integrou o elenco da TV Globo, tornando-se a primeira atriz negra a protagonizar uma telenovela. Influenciou diversos atores e atrizes negras e, para homenageá-la, a cervejaria fez uma American IPA de coloração cobre, espuma de boa formação, encorpada e bastante equilibrada. No processo de dry hopping, foi adicionado o lúpulo Citra, trazendo aroma cítrico a cerveja.

American Pale Ale

A APA da Implicantes faz homenagem para Maria Firmina dos Reis, que publicou o romance “Úrsula” em 1859, tido como o primeiro romance brasileiro abolicionista e o primeiro escrito por uma mulher no Brasil. Assinava como “Uma maranhense”, pois era uma época de limitações e preconceitos contra as mulheres. A cerveja é suave, aromática, equilibrada e refrescante, com sabor maltado e retrogosto amargo.

Pilsen

A cerveja Pilsen da Implicantes homenageia Leônidas da Silva, considerado um dos mais importantes atacantes do futebol brasileiro na primeira metade do século XX. O atleta sofreu racismo em campo, pois não era permitido jogador negro participar da foto de formação dos jogadores. A cerveja é leve, de coloração amarela, e refrescante, características tradicionais do tipo Pilsen.

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*