A primeira (e única) cerveja trapista brasileira

Por Daniel Taveira Oberlaender, engenheiro químico pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Mestre em Processos Químicos e Bioquímicos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e cervejeiro na Cervejaria Habeas Copos em Niterói/RJ.
Em 12 de setembro de 1904, chegava ao Brasil o primeiro grupo de monges da Ordem Trapista (Ordem Cisterciense da Estrita Observância) para ocupar o Mosteiro Nossa Senhora de Maristela, em Tremembé/SP. Os monges vieram da França, da Abadia de Notre-Dame de Sept-Fons. Neste grupo inicial de 14 padres e irmãos/frades, estava o padre Léopold Masl (nome de batismo: Jean Masl), monge da Ordem, com 54 anos.
Leia a matéria completa na edição 53 da Revista da Cerveja.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*