New England Beer Calling — O mercado em números e na prática

Por Thiago Martini, beer sommelier, juiz BJCP, Certified Beer Server Cicerone e cervejeiro caseiro.

Na nossa última conversa tentei apresentar, através de um breve relato histórico, como a cerveja é importante para cultura regional da Nova Inglaterra desde a sua origem. No entanto, gostaria agora de propor uma rápida análise dos últimos dados disponíveis para ilustrar o panorama geral de como o mercado de cerveja artesanal se encontra, qual o seu tamanho e a sua evolução nos últimos anos.

Os últimos dados divulgados pela Brewers Association (BA) são de 2017, onde nos seis estados que compõem a Nova Inglaterra foram produzidos cerca de 1.443.520 barris (aproximadamente 1.694.000 hl) e gerando uma receita bruta de cerca de 3,8 bilhões de dólares dentro de um mercado nacional de 26 bilhões anuais.Cervejas

Em toda a região, operavam, em 2017, 418 estabelecimentos registrados no BA, contudo os números a respeito da abertura de cervejarias e brewpubs são atualizados periodicamente e no meu último levantamento, agora de final de março, já constavam 619 estabelecimentos.

Isso mostra claramente que o mercado está em expansão, visto que em 2011, eram apenas 138 estabelecimentos de cervejas artesanais na região, num universo de cerca de 15 milhões de habitantes na Nova Inglaterra. Aguardaremos a atualização dos dados do mercado para se ter uma melhor noção da dimensão do crescimento também em volume e receita.

Bom, mas chega de história, chega de números, estatística, etc, porque chegou a hora de degustar e aproveitar estas incríveis cervejas. Achei bastante interessante e resolvi realizar o roteiro organizado por 5 cervejarias chamado Boston North Brewery Tour. Na verdade, nenhuma delas ficam em Boston propriamente dito, mas em cidades adjacentes, grudadas na verdade, parecendo mais bairros de Boston.

Divulgam através da distribuição de mapa, inclusive com desconto em aplicativo de carona para se transitar entre elas em segurança. Em cada brewpub me permiti degustar um flight (as vezes 2 tá), a famosa régua com 4 cervejas diferentes com doses quase homeopáticas de 4oz (118ml).

Comecei pela Idle Hands por ser a mais fácil de chegar de metrô partindo de Boston North Station. Fundada em 2012, a cervejaria fica na cidade de Malden com inspiração na escola belga, mas sem se descuidar de estilos alemães e, obviamente, americanos. Local simples, pequeno mas bastante agradável.

Thiago MartiniPossui uma distribuição limitada na região e meu destaque vai para Four Horsemen, uma Belgian Dark Strong Ale envelhecida por 10 meses em barril de bourbon, potente e complexa com seus 12% de ABV. Seguindo o mapa do tesouro, vou até a Night Shift. A maior em volume entre as cinco, localizada em Everett e também funcionando desde 2012.

Fundada por 3 amigos contando hoje com uma certa maturidade na distribuição e alcance de mercado sendo considerada a melhor cervejaria de 2017 da Boston Area. Destaque para a Darling, uma Imperial Stout maturada em barril de conhaque, licorosa, intensa e 12,9% ABV. Localizada quase em frente a Night Shift, encontra-se a Bone. Inaugurada em 2014, se auto intitula como a menor cervejaria da Boston Area. Em seu site mostra toda a saga da construção do brewpub pelo casal fundador.

Tem inspiração nas técnicas de produção da escola belga tentando mesclar com estilos americanos e utilizando somente ingredientes locais. Aqui destaco a Korey, uma Saison com pêssego e alta drinkability. Mais a frente, temos Down the Road Beer com suas instalações também em Everett. Ambiente rústico com as paredes grafitadas e mesas de pinball. Gostei muito das Feyborn, uma família de Berliner Weisse com adição de uma fruta específica.

As versões com blueberry e com strawberry foram as minhas preferidas apresetando uma acidez suave e equilibrada. Por último, mas não menos importante, chego na Mystic Brewing. Foi considerada a melhor cervejaria de 2018 da Boston Area. Fundada em 2009 por um especialista na ciência da fermentação, seu diferencial é buscar culturas de leveduras selvagens nativas da região e produzir com estas leveduras estilos como Saison, Gruit e Wild Ales.

Em 2013 foi a primeira cervejaria a ganhar medalha de ouro no Great American Beer Festival usando levedura genuinamente americana. Meu destaque vai para a Deep Space Radio, uma NE DIPA extremante turva e explosão aromática.

Foram diversas degustações nos mais variados estilos incluindo todas as escolas cervejeiras. Minha conclusão é de que aqui não se vive somente das New England IPA. Muito pelo contrário, todas as cervejarias contam com suas versões deste estilo, mas encontrei um leque bastante variado de opções, destacando que a maioria usam barris de madeira e tem suas versões ácidas, seja amercian wild, seja berliner weisse ou gose. Grande abraço e boas cervejas!

>> Leia a última coluna de Thiago Martini

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*