New England Beer Calling — Retrospectiva 2019: os festivais de cerveja em Boston

Por Thiago Martini, beer sommelier, juiz BJCP, Certified Beer Server Cicerone e cervejeiro caseiro.

Final de ano se aproximando, aquela sensação de alegria e satisfação de dever cumprido, mesmo que não se tenha atingido todas as metas propostas lá no inicio do ano. É da vida e acontece com todos. Aqui em Boston não foi diferente, e uma das metas era ir a todos os festivais de cerveja que ocorreriam na cidade em 2019, ou pelo menos a todos que eu tomasse conhecimento.

Com essa intenção, tudo começou em uma noite gelada de sexta-feira, no dia 1 de fevereiro de 2019. A minha estreia foi no maior e mais tradicional festival cervejeiro da cidade, o Extreme Beer Fest, que acontece desde 2004 e é organizado pelo BeerAdvocate. Foi uma oportunidade única de degustar grandes cervejas, incluindo a famosa Utopias, da Samuel Adams, e de conhecer pessoalmente seu criador, Jim Koch, assim como Sam Calagione, da Dogfish Head. O evento contou com a participação de 120 cervejarias vindas de todos os cantos dos Estados Unidos. Essa noite ficará eternamente gravada na minha mente.

Logo em seguida, no início de abril, aconteceu o NERAX (New England Real Ale eXhibition). Foi um evento somente com cervejas Cask Ale, sendo o festival mais antigo com esse formato dos Estados Unidos. A experiência foi tão incrível que dediquei uma coluna toda, alguns meses atrás, a respeito dele. O grande diferencial do evento são as cervejas não pasteurizadas, não filtradas, servidas direto dos barris, por gravidade ou bombeamento manual, e em temperatura ambiente, resgatando toda a tradição cervejeira de séculos atrás.

Esse movimento vem crescendo muito nos últimos anos por aqui. O ano se desenrolava e em junho veio o Funk Boston – A Wild & Sour Beer Fest, também organizado pelo BeerAdvocate. Sim, um festival dedicado as cervejas ácidas e azedas. Surpreendeu-me a diversidade de aromas e sabores num único evento. Estavam disponíveis cervejas com adições dos mais variados tipos de frutas e especiarias, assim como maturadas e envelhecidas em diversos tipos de barris de madeira, mostrando a maestria de como proceder na arte da fermentação nesta grande família de cervejas.

Nos meses subsequentes, a cerveja saiu dos espaços “indoor” e foi literalmente para a rua. Entre maio a outubro abriram diversos Beer Gardens na cidade e, assim, os festivais deram uma pausa em detrimento a diversão ao ar livre. Contudo, em novembro aconteceu o quinto Boston Beer & BBQ Fest, com cervejas da região e algumas degustações de churrasco ao estilo americano. Como comentei lá no inicio, algumas coisas ficam para trás durante o ano, e no meu caso, infelizmente, foi esse festival.

Mas para finalizar o ano em alto astral não deixei passar o Suffolk County Beer, festival organizado pela Craft Company e ocorrido agora no inicio de dezembro. Foi um evento de proporções menores comparado aos demais, com apenas doze cervejarias exclusivamente de Boston, mas com a mesma qualidade cervejeira. A proposta era realmente esta, um ambiente mais intimista, proporcionando calma e serenidade a cada gole degustado, priorizando o conceito de “beba local”.

Diante desse relato, posso afirmar que no aspecto festival de cerveja, meu ano foi bastante produtivo, com muitas oportunidades de enriquecer meu conhecimento. Reparem que os festivais se preocupam em englobar uma temática diferente, aguçando a curiosidade dos apreciadores da bebida. Outra coisa legal é que acabam por trazer muitas cervejarias de fora da região da Nova Inglaterra. Muito obrigado, Boston, por mais essa experiência cervejeira.

Grande abraço e boas cervejas!

>> Leia a última coluna de Thiago Martini

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*