Um passeio pelo Velho Mundo — Amsterdam

Por Linus De Paoli, cervejeiro caseiro, Certified Cicerone®, engenheiro de desenvolvimento de veículos e guia etílico-turístico.

Amsterdam é uma cidade que tem vários apelos a diferente tipos de pessoas. Dos museus de arte e história aos coffee shops, tem um pouco de tudo para todo mundo, inclusive para os amantes de cerveja. E a capital da Holanda por não ter uma cultura super tradicional de cerveja e pela sua vocação de receptividade e abertura a outras culturas também é um centro do modernismo cervejeiro europeu.

Mas uma sombra paira sobre a cidade. Uma sombra verde com uma estrela vermelha. A quase onipresente Heineken. O lado bom é que isso faz com que a Lagunitas IPA também seja quase onipresente na cidade. E torna o Heineken Experience a primeira parada cervejeira obrigatória (dica: compre o ingresso online com antecedência para furar a fila). A visita conta a história da cervejaria mais icônica da cidade mas não se compara ao nível de imersão da experiência da Guinness em Dublin.

Depois já dá para se perder pelas vielas da cidade e explorar tudo o que ela tem a oferecer. Mas antes de entrar em um bar e pedir uma cerveja ao garçom, para que você não passe a mesma vergonha que eu passei, aprenda a oportunidade de forma correta a palavra Brouerij em holandês. O IJ tem som de AI. Logo a pronúncia correta é BRAUERAI. Um dos lugares para você praticar a palavra recém apreendida em holandês é no In De Wildeman que fica próximo a estação central de trem.

O local tem uma cara que existe a mais de 200 anos, mas não se engane, a oferta de cervejas é bem contemporânea. Outros locais interessantes na cidade são os vários bares do grupo Beer Temple onde cada um tem sua especialidade (este primeiro com cervejas americanas) ou o Proeflokaal Arendsnest (cervejas holandesas).

E para fechar não pode faltar um pulo nas cervejarias craft da cidade, T’IJ, Oedipus, Lowlander e Two Chefs Brewing. Tem mais cervejarias na cidade, mas essas quatro são as que já experimentei as cervejas e indico, apesar de nunca as ter visitado. Agora um lugar que merece a visita mesmo não sendo um point cervejeiro é o Foodhalen. Uma praça de alimentação enorme em um antigo galpão restaurando com vários tipos de comida de ótima qualidade que segue o tom de abertura cultural do país (tacos, hamburger, asiática, pizza, árabe, doces, etc.) e uma oferta suficiente de cervejas para acompanhar a ótima comida.

Mas uma coisa difícil em Amsterdam é negociar e evitar os grupos que vem a cidade para aproveitar dos serviços oferecidos na região da luz vermelha e drogas lícitas nos coffee shops da cidade. Digo isso sem falso moralismo pois o que me incomoda nesses grupos é mais o barulho e o pouco respeito com os demais do que suas opções de como gastar seu tempo e dinheiro.

>> Leia a última coluna de Linus de Paoli

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*