Conheça 15 livros cervejeiros para comemorar o Dia Mundial do Livro #1

Livros cervejeiros

Comemorada internacionalmente todos os anos no dia 23 de abril, a data foi criada pela Unesco em 1995. Desde então, lançamentos e ações são promovidos para celebrar a leitura e todos os profissionais envolvidos na publicação de um livro.

E a cerveja, bom pretexto para reunir os amigos, também é tema de muitas publicações. Aos apaixonados por estes dois universos — o das artesanais e o dos livros —, e em homenagem à data, fizemos um compilado, em duas postagens diferentes, das obras sobre o assunto que já passaram por nossas edições impressas. Confira a segunda parte neste link.

O imigrante alemão e a indústria cervejeira do Rio Grande do Sul

Escrito pelo engenheiro e professor Arno Müller, este livro recupera a história da cerveja no sul do país. O escritor conta que a produção cervejeira está fortemente ligada à vinda dos alemães para a região: Em 1825, conta, “um imigrante comprou um terreno na beira do Rio dos Sinos e instalou uma casa comercial, um dos serviços de barca para atravessar o rio e uma fábrica de cerveja. O primeiro imigrante já era cervejeiro”. Você encontra mais informações sobre esta publicação em nossa edição #1.

Larousse da Cerveja

Escrito pelo consultor empresarial Ronaldo Morado e publicado pela editora Larousse do Brasil, este é um guia completo sobre a cerveja — desde sua história, passando pelo processo de produção e estilos, à gastronomia e negócios. A obra foi a primeira no Brasil a abordar o tema de maneira tão detalhada, podendo ser considerada uma verdadeira bíblia do assunto. Leia a matéria sobre este livro em nossa edição #2 e edição #34, quando abordamos o relançamento do livro, que teve alguma atualizações e acréscimos.

Cervejas: brejas e birras

Maurício Beltramelli descobriu as cervejas especiais em uma viagem que fez a Europa, em 2004. Oito anos depois, e após uma jornada de degustações e pesquisas sobre o tema, o editor do site Brejas publicou Cervejas: brejas e birras. Trata-se de um convite para conhecer a história da cerveja — no Brasil e no mundo —, seus insumos e escolas. Além disso, o autor avança no exercício de “como bem degustar”, falando sobre como escolher a breja, sabor, corpo, temperatura, off-flavors, etc. Viagem (pubs, restaurantes e cervejarias que valem a pena ser visitados) também é tema de um dos capítulos, e, por último, Beltramelli seleciona e comenta 150 rótulos nacionais e importados. A matéria completa está em nossa edição #3.

Filosofia de Botequim

“O que vai melhor com uma questão filosófica do que um bom copo de cerveja? E quem gosta mais de questões filosóficas do que bebedores de cerveja?”. Foi a partir dessa ideia que o norte-americano Matt Lawrence propôs unir dois assuntos dos quais ele domina — cerveja e filosofia. Para isso, o autor selecionou 48 questões fundamentais na filosofia; cada uma, acompanhada de uma sugestão de rótulo diferente. Professor da Long Beach College, Lawrence deixa claro que a ideia não é resolver problemas filosóficos, mas apresentá-los para que o leitor decida se quer ir adiante ou não. A dica deixada por ele é: “Beba com moderação. Pense em excesso.” Mais informações sobre a obra e uma entrevista com o sommelier de cervejas Alessandro Pinesso, revisor técnico da tradução brasileira, você encontra na edição #4.

A Cerveja

Escrito por Josimar Melo, jornalista e crítico de gastronomia da Folha de São Paulo, este é um guia de bolso sobre o tema. O livro faz parte da coleção Folha Explica, e introduz os iniciantes ao mundo das cervejas especiais de forma sintética e didática. A partir da obra, o autor busca mostrar a complexidade da bebida, que vai muito além da “loirinha gelada”, famosa no Brasil. História, tipos de cervejas, etapas de produção e algumas dicas de copos e harmonização estão contidos nesta publicação, escrita, segundo Melo, “num gole só”. Na edição #5, você pode ler mais a respeito!

Brasil Beer — O guia de cervejas brasileiras

Lançado em 2013, este livro traz um roteiro com mais de 120 cervejarias e mais de 450 cervejas brasileiras comentados pelos autores Henrique Oliveira e Hélcio Drumond. A obra inicia com uma recuperação histórica da bebida no país, explica sobre as etapas de fabricação e fala sobre as Acervas. Mas o foco está na cultura cervejeira do Brasil que o viajante/apreciador é convidado a desbravar. O guia se organiza por regiões do país e seus estados, contendo, no começo de cada um, o número de cervejarias, de cervejas, de cidades para visitar e de roteiros sugeridos. Mais detalhes dessa “bússola cervejeira”, você encontra em nossa edição #6.

Ein Prosit Blumenau — A história da cerveja em Blumenau

Considerada por muitos como a capital cervejeira do país, Blumenau é destaque nesta obra escrita por Soila Freese, que recupera a história das primeiras cervejarias da região através de seus descendentes. Segundo a autora, foi o desejo de conhecer mais sobre a cidade e de resgatar e registrar sua tradição cervejeira com mais de 150 anos que a motivou para pesquisar a respeito — uma tarefa nada fácil, devido às informações dispersas e à escassez de detalhes. Publicado em 2008, o livro traz histórias de cervejarias e famílias; memórias, do século XIX, que aparecem conectadas. Confira mais sobre ele na edição #7!

História de Linha Nova 1847 – 1945

Neste livro, Felipe Kuhn Braun traz a história de Linha Nova/RS, cidade onde viveu o primeiro cervejeiro do Rio Grande do Sul. Entre as muitas famílias de imigrantes que chegaram ao estado, na metade do século XIX, estava a família Ritter. O filho mais velho, Georg Heinrich Ritter, foi morar na cidade tema desta obra, e, um ano após sua chegada, produziu a primeira cerveja do RS. Além de contar a história do cervejeiro, o autor se propõe a recuperar relatos da cidade e a falar sobre seus pioneiros. Mais detalhes sobre o livro, você encontra na edição #8.

Os primórdios da cerveja no Brasil

Escrito por Sergio de Paula Santos, este livro traz o passado cervejeiro do país, recuperando, principalmente, a trajetória de duas empresas que dominaram o mercado brasileiro no final do século XX: Antarctica (SP) e Brahma (RJ). Publicado em 2003, a obra ainda propõe um resgate breve sobre o caminho da cerveja no Brasil — desde os holandeses e sua Companhia das Índias Ocidentais, passando pelos anos de contrabando e as importações com a chegada da família real, até a fabricação, com os imigrantes no século XIX.  Confira mais sobre esta publicação na edição #9.

O Livro da Cerveja

Tim Hampson, presidente da Associação Britânica de Escritores de Cerveja, traz neste guia diversas informações sobre o universo das artesanais. Junto de outros escritores e especialistas no assunto, Hampson catalogou mais de 1.700 cervejas e incluiu roteiros de viagens aos principais países, quando o assunto é a bebida: Alemanha, Bélgica, Estados Unidos e Inglaterra. Além disso, sugestões de locais para serem visitados e de rótulos para degustação também fazem parte da publicação. Outras informações e uma conversa com o autor você encontra em nossa 10ª edição.

Cerveja Para Leigos

E para especialistas. Esta obra inclui informações básicas, como os insumos da cerveja, além de falar sobre os estilos, trazer um guia ensinando como degustar e avaliar a bebida, e traçar um roteiro com os principais locais para se “cervejar” pelo mundo. Mas tudo sem perder o bom-humor: os americanos Marty Nachel e Steve Ettlinger trazem as informações acompanhadas de curiosidades e dicas, para atrair tanto quem já conhece sobre o tema quanto quem não bebe cerveja. Acompanhe mais sobre a publicação na edição #11.

O atlas mundial da cerveja

Um apanhado de rotas, histórias e curiosidades cervejeiras ao redor do mundo: é isso que propõem os autores Tim Webb e Stephen Beaumont nesta obra publicada em 2012. Nela, é traçado um panorama da produção da bebida, com os estilos e tradições de consumo de cada continente. Para escrever este livro, Webb e Beaumont dividiram o globo entre Europa, Américas, Ásia e Australásia, e abordaram as origens da bebida, harmonização, escolas e as áreas de cultivo de lúpulo, além do atlas em si, com mapas que mostram as principais cervejarias, e notas sobre algumas cervejas degustadas. Leia a matéria completa sobre esta obra em nossa edição #12.

Cerveja em casa

As beer sommeliers e homebrewers Christina Perozzi e Hallie Beaune aceitaram a missão de descomplicar a produção caseira de cerveja e, juntas, ensinam o passo a passo, de forma simples e divertida. No livro estão contidos um compilado de informações básicas sobre a bebida, um glossário com os “10 nãos” essenciais para quem quer fazer cerveja, e ainda diversas dicas e receitas. Estas últimas foram, devido a importância dada pelas autoras aos ingredientes frescos e sazonais, divididas por mês e baseadas em cada época do clima norte-americano. Você encontra mais informações sobre este livro em nossa edição #13.

A cerveja e a cidade do Rio de Janeiro

Lançado no ano passado, o livro da historiadora Teresa Cristina de Novaes Marques surgiu de sua tese de doutorado, feita na Universidade de Brasília. Escrita a partir de um resgate histórico, a obra traz a relação da cidade carioca com a cerveja através da trajetória da Brahma, de 1880 ao início dos anos 1930. Questões como a inserção da cervejaria no mercado e nos hábitos do consumidor, e como a propaganda influenciou na construção do gosto pela cerveja são tratados nesta publicação. Acompanhe mais sobre o livro em nossa edição #14.

As 100 melhores cervejas brasileiras

Maurício Beltramelli volta a figurar por aqui, mas desta vez com um livro voltado a uma lista de brejas brasileiras destacadas por ele. Além das 100 +, baseadas na escolha pessoal do autor — todas descritas com uma análise sensorial, que considera o estilo, teor alcoólico, temperatura de serviço, amargor, dulçor, corpo, tonalidade e copo ideal —, a publicação ainda traz informações cruciais (como uma introdução sobre o que é cerveja artesanal, e um glossário de termos cervejeiros) para quem está iniciando no mundo das artesanais. Confira a matéria completa sobre a obra em nossa edição #15.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*