Conheça 15 livros cervejeiros para comemorar o Dia Mundial do Livro #2

Livros cervejeiros

Comemorada internacionalmente todos os anos no dia 23 de abril, a data foi criada pela Unesco em 1995. Desde então, lançamentos e ações são promovidos para celebrar a leitura e todos os profissionais envolvidos na publicação de um livro.

E a cerveja, bom pretexto para reunir os amigos, também é tema de muitas publicações. Aos apaixonados por estes dois universos — o das artesanais e o dos livros —, e em homenagem à data, fizemos um compilado das obras sobre o assunto que já passaram por nossas edições impressas. A primeira parte, você confere neste link.

Santa Sede – Crônicas de Botequim 5

A obra é a quinta edição nascida nas mesas do bar Apolinário, escrita durante a oficina literária semanal ministrada por Rubem Penz. Além de apreciar as crônicas, os leitores terão informações sobre as cervejas Eisenbahn, Baden Baden, Kirin Ichiban e Devassa, em perfeita harmonia com a programação visual do livro. Para saber mais informações sobre o livro, leia a nossa edição #16.

Vamos falar de cerveja

A obra de Melissa Cole procura apresentar uma seleção das melhores cervejas do mundo, com informações sobre os diversos tipos e os processos de fabricação. Um guia para aprender a escolher, armazenar, servir e harmonizar cerveja e comida. É um livro introdutório e com uma leitura bem fluida, indicado para quem está começando no mundo cervejeiro. A resenha você pode conferir em nossa edição #17.

A revolução da cerveja artesanal

Hindy analisa a trajetória das craft beer nos EUA de forma detalhada e coesa, o que é bem interessante considerando que o movimento artesanal do Brasil parece estar seguindo o rumo do norte-americano. O autor traz exemplos como a DogFish Head, a New Belgian, a Rogue, a Allagash, a North Coast e outras. Para conferir a resenha do livro, veja a nossa seção livro da edição #20.

Cerveja, alemães e Juiz de Fora

Em 1999, após a instalação da Fábrica da Mercedez-Benz no município e a chegada dos funcionários alemães, iniciou-se o segundo ciclo cervejeiro e Juiz de Fora retomou sua antiga tradição cervejeira. Hoje são mais de 130 cervejeiros caseiros associados que constituem o Polo Cervejeiro de Juiz de Fora, dos quais 74 foram entrevistados nesse livro. No livro o leitor encontrará um mapeamento do cenário cervejeiro de Juiz de Fora e tudo mais que precisa saber para fazer verdadeiro tour pelas cervejarias da Zona da Mata Mineira. Confira mais informações em nossa edição #21.

Vinhos versus cervejas

De Charles Bamforth, o livro celebra os méritos da cerveja e traz uma interessante recuperação histórica da cerveja. Além disso, o autor faz uma instigante comparação entre as duas bebidas e argumenta que uma Lager ou uma Ale podem ser tão adultas e cosmopolitas quanto um bom tinto ou um Champagne. Confira mais detalhes em nossa resenha, na edição #23.

Grand Tour 2015

O livro “Grand Tour 2015” é resultado da união de bicicleta, turismo, cerveja e amigos. Na primavera daquele ano, um grupo apaixonado por cerveja saiu a pedalar pela Bélgica e pela França: Bruno Maia de Oliveira, advogado, beer sommelier e homebrewer, Dulce Unterleider e Eduardo Unterleider, sócios da Alenda Weisse (RS), e Gustavo Eidt, cirurgião dentista, homebrewer e sócio-fundador da CerVale, regional da Acerva Gaúcha. Objetivo da viagem: conhecer o máximo de cervejarias possível. Foi a partir delas que o grupo traçou o detalhado roteiro. Saiba mais informações em nossa edição #24.

Guia ilustrado Zahar: cerveja

“Guia ilustrado Zahar: cerveja” é o único livro cervejeiro escrito por Michael Jackson com tradução para o português. Jackson é o mais aclamado autor sobre a bebida, responsável por divulgar sua diversidade ao redor do mundo. Leia a resenha em nossa edição #25.

Cerveja feita em casa

“Cerveja feita em casa”, do britânico Greg Hughes, traz o bê-á-bá da produção caseira de cerveja e mais de 70 receitas, especialmente para os cervejeiros novatos. O autor descreve as variedades de maltes de cevada, centeio e trigo; explica sobre os açúcares, as leveduras, a função do lúpulo e as características de cada espécie; revela a importância da qualidade da água na fabricação; e discorre sobre os ingredientes que dão sabor e aroma à bebida, como ervas, frutas e especiarias. Saiba mais em nossa edição #26.

História do mundo em seis copos

Aqui a cerveja não é a estrela, e sim a relação da humanidade com as bebidas ao longo da história, o que é muito legal; a recuperação histórica dos primórdios da cerveja é valiosa. Tom Standage escolhe um ângulo inusitado para analisar as civilizações: as bebidas. Em seis copos, o autor mostra como a cerveja, o vinho, os destilados, o café, o chá e a Coca-Cola influenciaram os rumos da história mundial e definiram políticas e práticas sociais. Da pré-história à era da globalização, as sociedades elegeram diferentes bebidas e tiveram suas trajetórias fortemente ligadas a elas. A descoberta da cerveja na Mesopotâmia é associada ao estabelecimento de tribos nômades em locais fixos e à adoção da agricultura, e foi um dos fatores decisivos para o desenvolvimento da escrita. Leia a resenha em nossa edição #27.

A mesa do mestre-cervejeiro

“A mesa do mestre-cervejeiro”, de Garrett Oliver começa dando um panorama sobre a cerveja que mesmo quem não conhece nada consegue entender. Depois foca na parte de harmonização, intensamente, tudo interligado à experiência desse cara que é considerado o “papa da harmonização cervejeira”. Fica a dica, pois parece um livro de crônicas de tão bom! Confira a resenha na edição #29.

Cerveja com design

Com fotos de choperias ou pubs significativos de países como Alemanha, Austrália, Bélgica, França, Inglaterra, Irlanda, República Checa e também do Brasil, o livro trata, além da história e do processo de produção da cerveja, dos aspectos do design que fazem desses estabelecimentos locais de sucesso, como ergonomia, funcionalidade, cores, ambiente, clima e apelo visual, aliados ao atendimento e à cerveja de qualidade. Saiba mais informações em nossa edição #31.

Cervejas e comidas mineiras

Fabiana Arreguy, jornalista criadora da coluna de rádio Pão e Cerveja, faz sua estreia como autora lançando o livro Cervejas e Comidas Mineiras – vamos combinar? O mote do livro é contar a história das cervejarias artesanais mineiras contemporâneas, responsáveis pelo início de um movimento que hoje conta com mais de 70 cervejarias em operação. Ao mesmo tempo, o livro aborda algumas das possibilidades gastronômicas envolvendo a riquíssima culinária mineira e as cervejas produzidas no Estado. Confira a resenha em nossa edição #32.

Receitinhas para você: cerveja

A cerveja associada à gastronomia é algo muito comum em diversos cantos do mundo. O objetivo deste livro é fomentar a utilização da cerveja como um ingrediente no preparo de receitas, algo ainda pouco comum no Brasil. Com essa intenção, os autores desta obra fizeram um intenso trabalho de pesquisa e experimentação com receitas típicas de vários países, nelas inserindo a cerveja com o intuito de exaltar sabores a fim de trazer mais brilho, mas sem alterar a essência dos pratos. Este exemplar não se acomodou em ser uma mera coletânea de receitas. Ele vai além ao dar um passeio pelos estilos e pela história da bebida, recheada de deliciosas curiosidades. Saiba mais em nossa edição #35.

De carona até o próximo bar

O livro do Viajante Cervejeiro, De Carona até o Próximo Bar, é onde os loteiros poderão conhecer as histórias por trás dos 912 dias de estrada, mais de 28 mil quilômetros percorridos, 350 caronas, 17 cidades e os 345 bares visitados, focados em cerveja artesanal. Confira a resenha em nossa edição #36.

Ein Prosit Blumenau 2ª edição

A primeira edição do livro ‘Ein Prosit Blumenau’ foi lançada em 2008, em uma versão bastante singela, mas rica em conteúdo. Agora a obra chega em sua segunda edição totalmente reformulada, onde o material passa a ser visualmente mais atrativo. A obra reúne a história das primeiras cervejarias da colônia Blumenau, por meio de registros e memórias de amigos, filhos e netos de mestres-cervejeiros. Saiba mais em nossa edição #37.

Cerveja e comida

Cerveja e comida reúne as indicações necessárias para harmonizar cervejas de vários estilos com refeições, petiscos e sobremesas. Também ensina critérios para usar cerveja em marinadas, para encorpar molhos, incrementar condimentos e sofisticar doces, além de servir como ingrediente em mais de vinte receitas, entre elas. O livro aborda perfis de personalidades da gastronomia cervejeira de lugares como Londres, São Paulo e Milão, e indica 101 bares pelo mundo para degustar cervejas acompanhadas de menus planejados para complementá-los. Veja a nossa resenha na edição #39.

Foto: Andréia Ramires

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*